assembleia

assembleia

10 de julho de 2022

Bolsonarista que matou guarda municipal petista está vivo

 


A Secretaria da Segurança Pública do Paraná informou, na tarde deste domingo (10), que o agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho está internado em estado grave. Inicialmente, a Polícia Civil do Paraná chegou a divulgar que Guaranho havia morrido, mas, em nova nota enviada nesta tarde, afirmou que ele está estável no hospital.

Na fim da noite deste sábado (9), por volta das 23h50, o agente, que é bolsonarista, invadiu a festa do guarda municipal Marcelo Aloizio de Arruda – com decoração alusiva ao PT – em Foz do Iguaçu. Após discussão, o agente disparou tiros contra o petista, que, mesmo ferido, revidou e também o alvejou.

“A Polícia Civil está investigando a morte do guarda municipal Marcelo Aloizio de Arruda. Ele e o policial penal federal Jorge Jose da Rocha Guaranho se desentenderam durante a festa de aniversário de Arruda. Os dois acabaram baleados, Guaranho segue internado em estado grave. Imagens estão sendo analisadas e testemunhas sendo ouvidas”, informou a Secretaria da Segurança Pública do Paraná.


“A Polícia Científica está atuando no procedimento pericial que auxiliará para que os fatos sejam esclarecidos e o Inquérito Policial relatado e encaminhado à justiça”, acrescentou o comunicado.


A informação foi reiterada pela delegada Iane Cardoso, responsável pelo caso.

“A informação que a gente tem é que o que o agente penal não veio a óbito conforme estão informando aí. De acordo com a esposa dele, pelo contrário, ele está em estado estável inclusive, ele foi autuado em flagrante”, disse.


De acordo com a delegada, Jorge José da Rocha Guaranho foi autuado em flagrante delito e está custodiado pela Polícia Militar enquanto ele recebe auxílio médico.


O caso


O guarda municipal Marcelo Arruda teve a festa de aniversário invadida pelo agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho no fim da noite desse sábado (9). Arruda é membro da diretiva do PT em Foz do Iguaçu e tinha a decoração da festa de comemoração dos seus 50 anos em homenagem a Lula e ao PT.

Segundo relatos de quem estava presente, Guaranho foi até o local gritando o nome do presidente Jair Bolsonaro. Foi pedido que ele deixasse o local e ele avisou que voltaria. Arruda então foi até seu carro e pegou sua arma. Cerca de 20 minutos depois, Guaranho voltou e atirou em Arruda, que conseguiu revidar e atirar nele também. O aniversariante morreu, enquanto Guaranho foi encaminhado ao hospital em estado grave.


“O Guarda Municipal não gostou do que ele teria dito, pegou uns pedregulhos e arremessou contra o motorista do veículo, ele saiu do local dizendo que ia voltar, quando ele retornou aconteceu toda a tragédia”, explicou a delegada em coletiva de imprensa, na tarde deste sábado.


“Ele não era convidado da festa, estamos verificando porque ele foi até o local e porque estava ouvindo músicas que remetiam a Bolsonaro. Uma testemunha disse que ele falou: aqui é Bolsonaro”, disse a delegada.

A motivação do crime está sendo investigada pela polícia. “Vamos ouvir a esposa do Guarda Municipal, a esposa do agente penal e todos os indivíduos que estavam na festa”, afirmou Iane Cardoso.

Fonte: Blog do Gilberto Lima